CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

28 de novembro de 2013

CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO AMAZONAS

Há 15 anos, em 26 de novembro, a Assembleia Legislativa do Estado, aprovando uma Emenda Constitucional, concedeu a emancipação do Corpo de Bombeiros, então subordinado à Polícia Militar do Amazonas. Essa decisão veio coroar a luta dos Bombeiros em prol da autonomia; foram dez anos, depois que a Constituição Estadual foi promulgada.

Quartel do comando-geral dos Bombeiros
QDesde então a expansão vem sendo observada e, melhor ainda, usufruída pela sociedade; ontem, apenas a de Manaus, mas hoje, em bom número de municípios. A solenidade ocorreu na sede principal do CBMAM. Programada para o pátio do quartel, a chuva caída pouco antes, obrigou que os convidados se reunissem no Auditório local.
Na ocasião, o comandante-geral dos Bombeiros proclamou o contentamento que segue estimulando os soldados do fogo amazonenses. O documento vai abaixo transcrito.

Ordem do Dia
"Missão dupla o dever nos aponta: Vida alheia e riquezas salvar".
Com estas palavras, extraídas do Hino do Soldado do Fogo, exalto, juntamente com os nobres integrantes do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Amazonas, que completa 137 anos, e com as graças de Deus, o compromisso histórico da corporação com a sociedade amazonense.
Criado em 1876, por ordem do então presidente da Província, Nuno Alves Pereira de Mello Cardoso (oficial da Marinha, fundador da Capitania dos Portos), inicialmente sem caráter militar, dirigido pelo então diretor de Obras Públicas, coronel Leovegildo Coelho, nosso Corpo de Bombeiros foi o segundo organismo do gênero estabelecido no país, sendo o primeiro o Corpo de Bombeiros Provisório da Corte, criado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, pelo Decreto nº 1.775, do Imperador Dom Pedro II, patrono dos Corpos de Bombeiros do Brasil.
A natureza militar do serviço só foi concebida no governo de Eduardo Ribeiro (1892-1896), quando da subordinação ao Batalhão Militar de Segurança, a PMAM de nossos dias. Após várias permutas de subordinação entre o Estado e o município da Capital, em janeiro de 1973 retornou à esfera do Estado sob a administração da PMAM.
Depois de um quarto de século subordinada à PMAM (1973-98), o Corpo de Bombeiros, em 26 de novembro de 1998, conquistou sua autonomia, tanto operacional como administrativa, desvinculando-se da briosa Polícia Militar do Amazonas, passando à denominação de Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM).
Os desafios da jornada foram enormes, porém, maiores foram as conquistas que seguiram e nos trouxeram até aqui.
Durante esse período, muitos foram os integrantes da corporação, cuja dedicação foi determinante para sua perenidade. Homens abnegados, que empenharam suas vidas com coragem e ousadia, a despeito de qualquer dificuldade ou perigo, para bem servir à sociedade nos diversos momentos de angústia e desespero. A esses heróis do passado, deixamos aqui registrado nossos sinceros reconhecimentos.
Enalteço também os relevantes serviços prestados pelos atuais integrantes, bombeiros militares e funcionários civis, motivos pelos quais os parabenizo e concito-os a permanecer com a mesma perseverança, para que possamos entregar aos futuros Soldados do Fogo uma corporação forte e coesa, na certeza de que, a cada geração, estágios ainda mais elevados possam ser alcançados.
Nesse momento de comemoração expressamos nossos agradecimentos ao Governo do Estado, nas pessoas do Excelentíssimo Senhor Governador Omar Aziz e do Vice-Governador Professor José Meio, pelo reconhecimento da importância da Corporação para o bem-estar da sociedade. Reconhecimento esse refletido nos investimentos tanto em viaturas e equipamentos como também na admissão de novos Soldados do Fogo.
Agradecemos também ao coronel Paulo Roberto Vital de Menezes que, como titular do Sistema de Segurança do Estado, no qual a corporação está inserida, tem disponibilizado o apoio necessário às ações do CBMAM.
Com a compreensão de que na vastidão de nosso Estado não se atua de forma individualizada, saliento a importância das parcerias com as Forças Armadas e com os demais órgãos Federais, Estaduais e Municipais que, tantas vezes, compartilharam conosco operações de busca e salvamento, resgate e prevenção em todo o território amazonense.
Aos agraciados com a medalha Imperador Dom Pedro lI, a maior comenda concedida pelo Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, nosso sincero agradecimento e reconhecimento pelas relevantes contribuições dispensadas a essa Corporação e à sociedade amazonense.
Aos Bombeiros Militares agraciados com medalhas de tempo de serviço nossos parabéns pela distinção merecida ao longo de anos de dedicação ao trabalho.
Enfim, nesta data, em que tempos muito a comemorar e nos orgulhar, reforçamos outro compromisso do Soldado do Fogo, o de que – "Nenhum passo daremos atrás", no momento de atender mais uma vez o chamado de socorro.
FOGO!!!

Antônio Dias dos Santos - Coronel QOBM
Comandante-Geral do CBMAM