CATANDO PAPÉIS & CONTANDO HISTÓRIAS

24 de outubro de 2013

CASAMENTO DO DIEGO & CAROL



Diego & Carol
A fundação desta nova família ocorre hoje e, sem modéstia, abrilhanta a festa dos 344 anos da fundação de Manaus. Aproveito o espaço para expressar as minhas despedidas ao garoto Diego, que é a maneira cordial como saúdo o filho. Aos 25 anos, desliga-se da casa paterna para assumir as obrigações de “dono de sua casa” e de outros designativos próprios e impróprios.
Quando meu filho -- Diego Valois -- nasceu, eu havia ingressado nos “quarentanos”. Apesar dessa “pouca” idade, seu nascimento me trouxe algumas aflições. Preocupações que se fundavam em assistir suas conquistas básicas: a do ensino fundamental, que ele começou na Escolinha Sonho Infantil. O ensino do primeiro grau, longo para o pai que já ultrapassara meio século de idade, ocorreu em escolas de Manaus, de Recife e de Curitiba. Esse primeiro passo escolar, Diego o concluiu no Colégio Santa Doroteia.
O secundário, mais curto, parecia fácil, acompanhei-o em três escolas de Manaus. Lembro-me de que, em teste, enfrentou o vestibular da Ufam, cursando o 2º ano. Foi aprovado. Houve um alvoroço em casa, com o intuito de que se aproveitasse essa conquista. Mas, desistimos. Diego seguiu adiante e, no vestibular seguinte, ingressou na Universidade Federal. E nela conquistou o curso de Química. E ainda haverá de conquistar outros títulos.
Há anos frequenta com entusiasmo inconteste a Nova Igreja Batista. E foi entre esses jovens que encontrou a Caroline Brelaz, a qual atende por Carol.  Um dia, decidiram casar. No primeiro instante, tomei um sobressalto. Logo eu que já havia superado diversos, por isso tentei timidamente que ele adiasse um pouco mais esta respeitável decisão. Ele foi incisivo, decidido e, para provar o acerto, marcou a data do casamento. Ocorre hoje, com as festas que as famílias e os amigos compartilham, tuitam e espalham pela web.
Painel com belos momentos do noivo
Chegou o dia, Diego. Acompanhei os preparativos por meses, opinei sobre alguns detalhes da festa de casamento, assim como da nova residência e da viagem nupcial. Tudo dará certo, porque sei o quanto você se organiza para vencer, como vencia aos adversários nos jogos eletrônicos, por exemplo. Da mesma maneira como me conquistou para “torcer” pelo seu Palmeiras.

Chegou a hora, vá em frente! Tenho convicção de que você e a Carol hão de triunfar, hão de superar os embates da vida. Mas, se alguma eventualidade o afligir, se algum duro revés o inquietar, e precisar de auxílio, pode chegar sem cerimônia, Diego. A nossa casa, repetindo uma sentença do velhinho, seu avô Mendoza, “estará de portas abertas”. Foi então que compreendi a sentença do apóstolo Paulo aos Efésios:
“Por isso, o homem deixará pai e mãe, para se unir à sua mulher, e serão dois numa só carne”.